O Rambo Neo-Conservador
Anders Behring Breivik"/>
Print this post Print this post

O Rambo Neo-Conservador
Anders Behring Breivik

1,495 words

English original here

Nacionalistas Brancos, Nacionalistas europeus, contra-jihadistas, restricionistas de imigração, e até mesmo o Tea Party estão sendo difamados por estarem “ligados” e “associados” com o suspeito homicida norueguês Anders Behring Breivik.
A maioria dessas ligações existem apenas nas mentes de esquerdistas desonestos (e conservadores kosher) buscando espremer vantagens políticas dos corpos de adolescentes.

Mas algumas ligações são reais – tão reais como qualquer coisa na internet possa ser. Por exemplo, eu imediatamente reconheci a foto de Breivik porque eu a vi no Facebook algumas vezes. (Na época do ataque, ele tinha mais de 7.000 amigos no Facebook).

Eu lembro dele distintamente por causa de suas fotos, que parecem fotos de modelo profissional, e não as típicas fotos “à paisana” que as pessoas usam como avatares do Facebook.

Eu lembro-me de dar uma olhada em seu perfil e decidir que ele não estava realmente em sincronia com os objetivos do Counter-Currents. Ele descrevia a si mesmo como conservador e cristão (o que não são necessariamente “bandeiras vermelhas”), mas ele alinhava a si mesmo com o movimento europeu filo-semita e anti-islâmico (o que é uma grande bandeira vermelha, e geralmente uma judaica ainda por cima).

Também, a segunda vez que eu encontrei a foto de Breivik no Facebook, eu notei que seu nome havia mudado. Após sua foto aparecer nos jornais, eu encontrei-a no Facebook ainda sob um terceiro nome (um nome diferente de Anders Behring Breivik), mas quando eu procurei alguns minutos depois novamente, eu não consegui encontrar aquele perfil.

Isso me deu uma sensação desagradável: Existem muitos mutantes ideológicos que vivem mudando de formas e nomes em nosso meio, e esses comportamentos normalmente estão relacionados a um alto grau de narcisismo bem como com desordens psicológicas mais profundas. (Eu tenho a mesma sensação desagradável com pessoas que mudam muito seus avatares do Facebook). Eu aprendi com experiências amargas que nada bom para nossa raça e causa vem de associação com os insanos, então eu prefiro pecar pelo excesso de precaução e evitar pessoas que demonstram sinais de instabilidade.

Inicialmente, eu evitei escrever sobre Breivik porque seus motivos não estavam claros. Então Kevin Slaughter desbamcou todo o mundo do jornalismo revelando ao mundo as razões de Breivik: 2083: A European Declaration of Independence, um manifesto de 1.518 páginas apresentando sua visão-de-mundo e os planos de seus ataques. Breiviki também criou um vídeo bem feito que sumariza suas opiniões e as ilustra com imagens efetivas. (Ambos foram publicados sob o nome Andrew Berwick. O livro indica Londres como o local de publicação. As fotos nas últimas páginas, porém, são de Anders Breivik).

Ainda que os crimes dos quais Breivik é acusado trazem a mente o ataque de Oklahoma City, o manifesto cuidadosamente trabalhado de Breivik está mais ao estilo do “Unabomber” Ted Kaczynski (ainda que Breivik não seja um pensador tão profunda; nem, infelizmente, tão conciso).

Breivik é um nacionalista europeu cuja preocupação primária é a colonização islâmica. Ele é um conservador, um anti-comunista e oponente do “marxismo cultural”, um maçom, um cristão que vê o Cristianismo com uma força cultural para a unificação da Europa contra o Islã (mas obviamente não um fundamentalista cristão como afirmado pela mídia de massa), um filo-semita e pro-sionista, um anti-racista, e um anti-Nacional-Socialista, que constantemente utiliza o nazismo como um paradigma do mal. (Breivik chama Adolf Hitler “o Grande Satã” e o culpa pelo declínio de nossa raça.)

Ainda que a Nova Direita norte-americana pertença ao mesmo gênero, Euro-Nacionalista, eu não consigo imaginar uma espécie mais fundamentalmente diferente do que Breivik, pois no âmago de seu pensamento reside uma falha intelectual (ou, mais provavelmente, moral) que torna possível abraçar a Judiaria (e um de seus tentáculos, a Franco-Maçonaria) ao mesmo tempo em que tenta lutar contra suas consequências (“marxismo cultural”, a islamização da Europa) e insultar o Nacional-Socialismo e outras formas de Euro-Nacionalismo que vão à raiz do problema.

O objetivo de Breivik era, aparentemente, inspirar uma nova cruzada para expulsar o Islã da Europa. Seu modelo eram os Cavaleiros Templários, uma das ordens militares-espirituais que enfrentaram o Islã durante as Cruzadas. A foto do próprio Breivik em trajes maçônicos é claramente baseada na pretensão maçônica de descendência dos Cavaleiros Templários.

Breivik devota páginas incontáveis para definit detalhadamente a estrutura de seus novos Cavaleiros Templários, completo com graus, juramentos, rituais, e até mesmo protótipos de uniformes e medalhas. Qualquer um familiar com jogos de RPG vai reconhecer imediatamente esse tipo de literatura.

Como, precisamente, Breivik achava que ele poderia ressuscitar os Cavaleiros Templários e impulsionar uma cruzada européia contra o Islã, metralhando adolescentes? Bem, talvez eu tenha lido muito rápido, mas eu não vi uma conexão.

Breivik ergueu um arranha-céus de palavras, mas os elevadores não vão todos até o topo. Ele gastou 300.000 euros (!) preparando-se para sua operação, mas deixo um buraco entre seus meios e seus fins últimos tão grande que poderíamos atravessar com um caminhão por ele.

O tomo de Breivik também inclui dicas para você parecer o melhor possível em suas fotos. O que me faz refletir: Estaria a desconexão entre os objetivos políticos de Breivik e suas ações conectada pelo puro narcisismo desse petulante, porém mortal, imbecil?

Estaria Breivik tão cativado por sua lógica, sua retórica, e seus uniformes brilhosos que ele achou que milhões de homens europeus erguer-se-iam para segui-lo após ele derramar os cérebros progressistas aturdidos de um número suficiente de estudantes secundários? Quando a cruzada não se materializar, você acha que ele vai simplesmente cincluir que ele precisava matar um pouco mais de pessoas, ou talvez passar um pouco mais de tempo em uma mesa de bronzeamento artificial? Teriam todas essas pessoas morrido porque um nerd rico e alienado foi consumido por seu próprio mundo de fantasia?

Se Breivik é realmente o culpado pelas mortes na Noruega, então eu tenho uma simples mensagem para ele: Você fez muito mais, e muito pior, do que matar aproximadamente 90 noruegueses, tão terrível quanto isso já possa ser. Você fez regredir a causa da salvação da raça branca da extinção. Pois as consequências previsíveis desse tipo de terrorismo inútil não incluem o ressurgimento dos Cavaleiros Templários. Ao invés, elas incluem (1) perseguições políticas de dissidentes, e (2) maior resistência pública à nossa mensagem por parte de pessoas normais, que sentem-se enojadas por extermínios em massa, principalmente de adolescentes loirinhos.

Sim, é claro que esse clima de opinião está sendo manipulado pelos nossos inimigos. Sim, nossos inimigos conseguem se safar com crimes piores o tempo todo. Sim, não tinha que ser dessa maneira. Mas ainda assim, essa é a realidade da situação. Eles tem o poder de nos difamar, então é óbvio que eles vão utilizá-lo. O terrorismo é uma luta que nós não podemos vencer, seja no reino da política ou no reino da publicidade. E apenas um idiota escolhe uma luta que ele não pode vencer.

E por que, em nome de Odin, o assassino escolheu matar adolescentes?? (Que estão sendo apresentados pela mídia como “crianças” para horror extra). Sim, havia uma certa lógica em atacar um campo juvenil para o Partido Trabalhista, o partido social-democrata governista. Como todas as elites ocidentais traidores, o Partido Trabalhista Norueguês condena noruegueses comuns a serem perseguidos por ladrões, estupradores e assassinos do terceiro mundo, que eles importam e afagam. E ainda assim eles e suas famílias se escondem do caos que eles inflingem sobre os outros. Breivik pode ter decidido mostrar a esses hipócritas que eles não são invulneráveis, que eles não podem se isolar das consequências dos próprios atos.

Se essa era a mensagem intencionada, então isso foi perfeitamente futil. A bomba de Oklahoma City e os ataques de 11 de Setembro provaram que o governo dos EUA e seus funcionários também não são invulneráveis às consequências de seus próprios atos. Mas se esses attaques produziram um único segundo de reflexão moral nas cidadelas de poder, um único momento de clareza sobre o mal e a insanidade da política americana, eu ainda estou para ver algo disso. Ao invés, eles produziram apenas mais repressão doméstica e aventureirismo estrangeiro: mais mentiras, mais guerras, mais vítimas.

Sim, o 11 de Setembro conseguiu mesmo acordar muitos americanos, mas a bomba em Oklahoma City foi uma enorme regressão para os movimentos patrióticos e milicianos. Novamente, apenas um idiota escolhe uma luta que ele não pode vencer. Se tudo que você pode fazer é machucar um monstro, então é melhor deixá-lo em paz.

Após a tentativa de difamar a American Renaissance tentando ligá-la ao assassino de Arizona Jared Lee Loughner, eu defendi que a luta armada contra nossos inimigos é futil, porque eles são mais fortes que nós. E também desnecessária, porque eles estão engajando-se em políticas que vão enfraquecê-los e destruí-los a longo-prazo.

Eu também defendi que meras condenações verbais de violência por parte de Nacionalistas Brancos não tem qualquer credibilidade intelectual ou moral. O único passo crível que podemos tomar para evitar chacinas inúteis e contra-produtivas como a de Breivik é parar de afagar os insanos entre nós. O elitismo precisa começar em casa.

Source: http://legio-victrix.blogspot.com/2011/07/o-rambo-neo-conservador-anders-behring.html

If you enjoyed this piece, and wish to encourage more like it, give a tip through Paypal. You can earmark your tip directly to the author or translator, or you can put it in a general fund. (Be sure to specify which in the "Add special instructions to seller" box at Paypal.)
  • Video of the Day:

  • Kindle Subscription
  • Our Titles

    New Right vs. Old Right

    Lost Violent Souls

    Journey Late at Night: Poems and Translations

    The Non-Hindu Indians & Indian Unity

    Baader Meinhof ceramic pistol, Charles Kraaft 2013

    The Lightning and the Sun

    Jonathan Bowden as Dirty Harry

    The Lost Philosopher, Second Expanded Edition

    Trevor Lynch's A White Nationalist Guide to the Movies

    And Time Rolls On

    The Homo & the Negro

    Artists of the Right

    North American New Right, Vol. 1

    Forever and Ever

    Some Thoughts on Hitler

    Tikkun Olam and Other Poems

    Under the Nihil

    Summoning the Gods

    Hold Back This Day

    The Columbine Pilgrim

    Confessions of a Reluctant Hater

    Taking Our Own Side

    Toward the White Republic

    Distributed Titles

    Demon

    Proofs of a Conspiracy

    Fascism viewed from the Right

    The Wagnerian Drama

    Fascism viewed from the Right

    Notes on the Third Reich

    Morning Crafts

    New Culture, New Right

    An eagle with a shield soaring upwards

    A Life in the Political Wilderness

    The Fourth Political Theory

    The Passing of the Great Race

    The Passing of a Profit & Other Forgotten Stories

    Fighting for the Essence

    The Arctic Home in the Vedas

    The Prison Notes

    It Cannot Be Stormed

    Revolution from Above

    The Proclamation of London

    Beyond Human Rights

    The WASP Question

    Can Life Prevail?

    The Jewish Strategy

    The Metaphysics of War

    A Handbook of Traditional Living

    The French Revolution in San Domingo

    The Revolt Against Civilization

    Why We Fight

    The Problem of Democracy

    The Path of Cinnabar

    Archeofuturism

    Tyr

    Siege

    On Being a Pagan

    The Lost Philosopher

    The Dispossessed Majority

    Might is Right

    Impeachment of Man

    Gold in the Furnace

    Defiance